Skip to Content

O problema, as consequências e as soluções de testes rápidos

A infecção do trato respiratório inferior (ITRI) é uma das causas agudas mais comuns para que os pacientes procurem uma avaliação médica, sendo responsável por 17 milhões de consultas na União Europeia e 11 milhões nos EUA a cada ano1.

Apesar das fortes evidências que destacam pouco ou nenhum benefício do tratamento por antibióticos para a maioria das pessoas que apresenta sintomas de infecção do trato respiratório (ITR), essas doenças ainda constituem o motivo mais comum para a prescrição de antibióticos na assistência básica de saúde2.

O problema

As estatísticas indicam que 90% das ITRs são causadas por vírus e, nesses casos, provavelmente os antibióticos não oferecerão benefícios clínicos ao paciente.3 De fato, 80% dos casos de ITRI atendidos na assistência básica de saúde são de bronquite aguda. Apesar das evidências de pouco ou nenhum benefício dos antibióticos, até 80% dos pacientes que se consultam com esse quadro recebem prescrição de antibióticos1.

PROTEÍNA C REATIVA

As consequências

Existe um óbvio excesso de prescrições de antibióticos para ITR na assistência básica de saúde. A prescrição de antibióticos coloca os indivíduos em risco por efeitos colaterais, incentiva o comportamento de procura de ajuda para doenças essencialmente autolimitadas e traz risco aos indivíduos e à sociedade pelo aumento da resistência a antibióticos.2 A maioria das ITR é inofensiva, autolimitada e quase todos os pacientes se recuperam sem um tratamento específico. O tratamento com antibióticos, em alguns casos, pode ser diretamente prejudicial devido aos efeitos adversos3.

Testes rápidos

As pesquisas indicam que as taxas de prescrição de antibióticos dos países estão vinculadas às taxas de resistência1,2 e, consequentemente, que a redução das prescrições desnecessárias, particularmente para infecções agudas do trato respiratório (IATRs), pode contribuir diretamente para uma resistência mais baixa7. Intervenções, como o teste de PCR no local de atendimento, podem ajudar a promover um uso mais prudente de antibióticos4,5. Foi demonstrado que o uso de testes de PCR no local de atendimento reduz significativamente as prescrições de antibióticos para infecções respiratórias do trato inferior sem comprometer a recuperação ou a satisfação do paciente com o atendimento1. Também foi observado que os médicos com acesso ao teste de PCR reduziram significativamente as prescrições de antibióticos em pacientes com rinossinusite12.

O teste Afinion™ CRP é um importante teste a ser realizado no local de atendimento que ajuda a diferenciar doenças graves, como pneumonia, de doenças frequentemente autolimitadas, como bronquite aguda e outras ITRs6. O teste Afinion™ CRP é um teste diagnóstico rápido in vitro para a determinação quantitativa de proteína C reativa (PCR) no sangue humano, que ajuda a reduzir a incerteza do diagnóstico e orienta a decisão referente ao uso de antibióticos durante a consulta do seu paciente. O teste Afinion™ CRP totalmente automatizado fornece, com excelente precisão e facilidade de uso, uma resposta em 3-4 minutos.

Afinion™ CRP test

A proteína C reativa (PCR) é uma das proteínas de fase aguda induzidas por citocinas, cujos níveis se elevam durante uma resposta a processos inflamatórios infecciosos e não infecciosos9,10. Em indivíduos saudáveis, os níveis séricos ou plasmáticos de PCR estão abaixo de 5 mg/L10,11. Como níveis elevados de PCR estão sempre associados a alterações patológicas, o teste de PCR fornece informações para o diagnóstico, para a terapia e para o monitoramento de doenças inflamatórias8,9,10,11

Produto não disponível nos Estados Unidos.

Faça o download do relatório de consenso sobre os testes de PCR