Skip to Content

O problema, as consequências e as soluções de testes rápidos

A cada ano, a influenza (gripe) causa infecções graves e mortes no mundo inteiro, geralmente nos meses de inverno (gripe sazonal). Os números mais recentes sugerem que, em todo o mundo, essas epidemias anuais resultam em cerca de três a cinco milhões de casos de doença grave e em 250.000 a 500.000 mortes1.

O problema

Os sintomas da influenza são similares aos de outras infecções respiratórias comuns. Os pacientes que apresentam esses sintomas comumente são tratados empiricamente, sem um diagnóstico formal.

O problema com relação ao controle antimicrobiano é duplo. Pacientes com síndrome gripal, diagnóstico baseado somente em sintomas, frequentemente são tratados com antibióticos, mesmo se a causa mais comum para esse conjunto de sintomas for gripe, que é uma infecção viral. Antibióticos não são eficazes contra vírus.

Como alternativa, esses pacientes muitas vezes recebem uma prescrição de antivirais contra gripe, que serão desnecessários se a gripe não for a causa da infecção e só são eficazes se prescritos até 48 horas depois do início dos sintomas.

Influenza

As consequências

Está surgindo a resistência aos antivirais contra influenza. Muitas cepas do vírus da influenza já desenvolveram resistência à classe mais antiga de antivirais, as adamantanas. Depois de décadas de uso eficaz na profilaxia e no tratamento de influenza, a resistência global a esses medicamentos aumentou dramaticamente nos vírus de influenza do subtipo A/H3N2 nos últimos anos2.

A nova classe de antivirais para tratamento de influenza, os inibidores de neuraminidase, oseltamivir (Tamiflu) e zanamivir (Relenza) são, atualmente, adequados para todas as cepas. Entretanto, tem sido observada uma resistência esporádica ao oseltamivir, e não temos, no momento, uma linha de defesa adicional. Durante a epidemia de influenza de 2007-2008, a resistência dos vírus de influenza A(H1N1) ao oseltamivir aumentou significativamente pela primeira vez em todo o mundo3.

Seu paciente está apresentando estado gripal há 36 horas. Você não sabe se a causa é viral ou bacteriana, mas suspeita de influenza. Que percurso para o diagnóstico você escolhe para seu paciente?

Testes rápidos

Ao testar pacientes e fornecer resultados com rapidez, os antibióticos podem ser suspensos e os antivirais podem ser prescritos somente quando for adequado. A conscientização dos médicos quanto ao diagnóstico rápido de influenza diminui o uso de antibióticos.4 O diagnóstico tradicional de influenza por cultura viral ou pela reação em cadeia da polimerase (RCP) é muito demorado para ser útil na geração de opções de tratamento4.

ID NOW Influenza A & B 2

O ID NOW™ Influenza A & B 2 (anteriormente Alere™ i Influenza A & B) é um teste molecular de gripe que fornece resultados precisos em menos de 13 minutos na plataforma ID NOW. Significativamente mais rápido que outros métodos moleculares e mais preciso que os testes rápidos convencionais, o ID NOW Influenza A & B 2 permite que você forneça aos seus pacientes resultados práticos de influenza em qualquer ambiente e possibilita o uso adequado de antibióticos e antivirais.

O ID NOW Influenza A & B 2 é aprovado pela CLIA!

A Abbott também oferece uma variedade de testes de fluxo lateral para ajudar no diagnóstico rápido de gripe, incluindo BinaxNOW®, Clearview® and SD, todos excelentes ferramentas para determinar os indivíduos que necessitam de tratamento.

Explore o conteúdo e os vídeos relacionados

Testes precisos para influenza

Assista como o ID NOW melhorou o atendimento aos pacientes em uma instituição de atendimento de emergência.